Ex-colega de Esplanada, Dino vai relatar caso de Juscelino no STF

(Divulgação)
(Divulgação)
COMPARTILHE
13/06/2024 08:01 | 3 min de leitura


O ministro Flávio Dino, do Supremo Tribunal Federal (STF), será o relator do pedido de indiciamento do ministro das Comunicações, Juscelino Filho. Os dois foram colegas de Esplanada enquanto Dino esteve à frente do Ministério da Justiça do governo Lula (PT).

Além disso, os fatos investigados ocorreram no Maranhão, estado que o atual ministro do STF governou por oito anos. O conterrâneo de Dino e atual ministro das Comunicações teve o pedido de indiciamento por crimes como corrupção passiva, fraude em licitações e organização criminosa.

O relatório da PF foi enviado nesta terça-feira, 11. Juscelino é suspeito de participar de um esquema de desvio de emendas parlamentares – quando era deputado federal – para a cidade de Vitorino Freire, no interior do Maranhão, onde a irmã dele, Luanna Rezende, é prefeita, e onde o pai já foi prefeito duas vezes.

Um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou que 80% da estrada custeada pela emenda beneficiou propriedades dele e de seus familiares na região. Em nota, o ministro afirmou que o “indiciamento é uma ação política e previsível”.

“A investigação, que deveria ser um instrumento para descobrir a verdade, parece ter se desviado de seu propósito original. Em vez disso, concentrou-se em criar uma narrativa de culpabilidade perante a opinião pública, com vazamentos seletivos, sem considerar os fatos objetivos”, afirmou.

Ainda segundo Juscelino, o delegado responsável pelo caso “não fez questionamentos relevantes” durante o seu depoimento“. “Além disso, o encerrou abruptamente após apenas 15 minutos, sem dar espaço para esclarecimentos ou aprofundamento”, completou.

Fonte: O antagonista

Leia também