Justiça acaba com "palhaçada" e perseguição contra reitora Ludimila

UFERSA
UFERSA
COMPARTILHE
24/08/2023 16:13 | 5 min de leitura


Ludmila Carvalho, reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido – UFERSA, enfrentou nesse ano um difícil processo com possível resultado de destituição do cargo de reitora da UFERSA, depois de ter perdido o título de doutorado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, acusada de plágio na tese. O título é um dos pré-requisitos para o cargo de reitor.

Além de perder o título, o Ministério Público ainda pediu o afastamento da professora alegando abuso de poder e intimidação. A argumentação estaria embasada em uma carta enviada por Ludmilla ao Conselho Universitário – CONSUNI da UFERSA, avisando que se reuniria para decidir se instalaria ou não uma Comissão para avaliar a destituição do cargo. Ela escreve que os procedimentos devem ser adotados pelos membros do Conselho da UFERSA no caso de sua morte. Na avaliação do Ministério Público, a conduta da reitora foi entendida como intimidação. Além disso, a docente ainda teria sido acusada de incidir nas investigações.

Diante desse cenário caótico, Ludmila negou ter cometido plágio, sobretudo em sua dissertação de doutorado, tendo em vista suas notas e seu desempenho nas atividades acadêmicas.

Mediante esses dias de bronze, a reitora finalmente teve o título de doutora restituído pelo Desembargador federal Edvaldo Batista da Silva Júnior, da 5 Região, de Recife. O caso encerra com a vitória da professora e a restituição não só do seu título, mas da sua dignidade.

VEJA A NOTA SOBRE A RESTITUIÇÃO DO TÍTULO DE DOUTORADO:

 

É válido enfatizar que esse foi apenas o estopim da perseguição sofrida pela reitora. Sua luta começou logo quando assumiu o cargo em 2020. Em virtude da sua posição política de direita, a universidade, composta por maioria esquerdista, se opôs ao seu mandato quando, em visita ao Rio Grande do Norte, o presidente Jair Bolsonaro anunciou a nomeação dela. Mais que ataques políticos, ela sofreu perseguição ideológica e, especialmente, pessoal.

Fonte: Redação Diário do Brasil

Leia também